20 fev 2020
por Redação Brain 23 views 0

Agrotech: tendência ou realidade?

O Brasil é um dos maiores produtores rurais do mundo. Seu grande território e clima favorável para o cultivo de alimentos e a criação de animais torna o país uma grande potência quando se trata de agronegócio. Somente no ano de 2019, as exportações do agronegócio movimentaram cerca de US$ 96,79 bilhões, segundo relatório divulgado pelo Ministério da Agricultura.

Com esta oportunidade, as Agrotechs vieram com uma proposta de inovar e fazer diferente, levando inovações tecnológicas para o agricultor. As soluções podem ser as mais diversas, como a criação de ferramentas que tornam as fazendas e pastos mais produtivos, otimizando e automatizando os processos, evitando que o produtor tenha grandes perdas em seu cultivo. 

As tecnologias vem para facilitar processos e auxiliar no ganho de tempo e produtividade, para que os esforços sejam direcionados para outras atividades. Segundo a Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), já são cerca de 300 empresas neste setor, investindo em torno de R$ 100 milhões ao ano. O objetivo é, realmente, disseminar que o campo pode e deve se tornar tecnológico e com melhores entregas. Todo mundo ganha: o produtor, que consegue economizar em sua produção, e o consumidor final, que poderá ver esta economia refletida nos preços e qualidade dos produtos.

 

Leia também: Saiba o que é o framework Scrum

 

Mas, ainda falta muito para chegarmos ao cenário ideal: além da resistência dos próprios produtores para a entrada desta nova forma de se trabalhar, a falta de conexão com internet atrapalha a entrada destas tecnologias.

E qual a importância do campo conectado?

Se a tecnologia torna o dia a dia mais fácil e com menos esforço nas cidades, ela também pode ser aplicada no campo. Segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o número de usuários que acessam a internet móvel na zona rural passou de 4% para 24% entre 2008 e 2014. Apesar do salto, ainda existe uma grande fatia do mercado que precisa e pode ter o auxílio que as tecnologias atuais fornecem. 

Nas cidades, já contamos com inúmeras ferramentas que facilitam o dia a dia: aplicativos de mobilidade urbana, mapas que apontam o trajeto mais rápido e onde tem radar de velocidade, por exemplo, e até aplicativos para usuários de transporte público, que conseguem visualizar horários e em qual estação descer. Se existem tantas facilidades para a cidade, imagine no campo.

Ao otimizar e integrar as informações, os processos das fazendas ficam mais precisos, com menos perdas e desperdícios. Imagine, por exemplo, ter uma precisão sobre a previsão do tempo, e saber em qual parte da propriedade é necessário ter um reforço na irrigação, ou até mesmo fazer a gestão consciente dos recursos como o uso de energia e combustível dos equipamentos e dos defensivos agrícolas.

 

Leia também: Conheça o novo Hub de Inovação Indústria 4.0 de Uberlândia

 

Como o Brain está envolvido nisso?

O Brain, em parceria com a Algar Telecom e a empresa israelense Agritask, estão disponibilizando uma plataforma voltada para o campo, chamada de Farmconnect. A ferramenta tem como objetivo fazer a gestão interativa do processo produtivo, fornecendo todo o suporte necessário para a tomada de decisão do agricultor. Assim, ele consegue administrar melhor suas fazendas e consegue alocar os recursos de maneira assertiva.

Além disso, o Brain, Algar Telecom e Algar Farming estão em uma parceria na criação de fazenda modelo, com aporte do banco BNDES, para que seja possível testar novas tecnologias de Internet das Coisas (IoT) e encontrar, na prática, as melhores soluções para o agricultor.

Nosso objetivo é levar e disseminar a inovação para todas as áreas, aproveitando as oportunidades disponíveis para facilitar e resolver as dores do mercado. Nos acompanhe e saiba mais sobre nossas soluções! #GoBrain

 

Instagram: @brain.innovation

Facebook: InovacaoBrain

Linkedin: Brain – Centro de Inovação em Negócios Digitais

16 comments_number 0 comments_number 4 meses atrás