23 abr 2020
por Redação Brain 34 views 0
,

Home Office e times ágeis: confira o depoimento da Tribe Leader!

Em tempos de Home Office, trabalhar e gerir um time ágil tem seus pontos positivos e negativos. Por ser um método de trabalho fora do convencional, tem mais flexibilidade, mas ainda sim é preciso seguir as cerimônias e as entregas dos produtos, afinal, o tempo não para.

 

E para falar mais sobre esse assunto, convidamos nossa Tribe Leader Laura, que contou como está sendo a gestão remota de todos os squads que estão sob sua responsabilidade. Confira!

Oi Laura! Conta pra gente um pouquinho da sua tribo, o que ela faz e os squads.

Nossa Tribo tem como objetivo desenvolver soluções e serviços que possam ser comercializados à clientes B2B (MPE e Corporativo), de forma independente aos serviços já oferecidos pelos nossos clientes, que são a Algar Telecom e Algar Tech.

São os chamados OTT (over the top), serviços muito associados a streaming de vídeo, mas que aqui ganha um conceito amplo, em que as soluções podem ser comercializadas independentes do “core” da empresa. Assim a Algar Telecom pode oferecer serviços de comunicação sem oferecer a rede física e a Algar Tech pode fazer a prestação de seu serviço de call center sem necessariamente ofertar o espaço físico e as posições de atendimento.

 

A princípio, como foi ter que fazer a gestão de tantos times de maneira remota?

Somos três times em Uberlândia e três em São Paulo. O time em São Paulo estava conosco há um mês, ou seja, ainda iniciando as atividades quando precisamos fazer o trabalho remoto.

Foi muito difícil no começo. O segredo é transparência, combinar e alinhar as expectativas. Tornar pública a agenda de trabalho e organizar dia e horário para participar das cerimônias com os times.

Tenho ficado mais tempo trabalhando, mas tem sido mais produtivo também, organização de tempo é o aspecto chave.

E as cerimônias do Scrum, como vocês estão fazendo?

Está tudo online, definimos horário de início e fim, e estamos combinando para que aconteçam no tempo previsto.

É importante ter também um pequeno intervalo entre as cerimônias, para as pessoas levantarem, beberem água e voltarem a se concentrar.

Outro ponto importante, é que estamos pedindo que as pessoas não apenas falem, mas escrevam e mostrem o que estão fazendo.

Usamos o Hangout como ferramenta e o Google Drive para trabalhar em documentos compartilhados.

 

O time sentiu alguma dificuldade? E você?

Sim, as primeiras cerimônias foram longas e às pessoas participaram pouco, muito mais como ouvintes. Mas à medida que o tempo passou, junto com as metas mais claras e as expectativas de trabalho alinhadas individualmente, estamos conseguindo ir num ritmo muito bom.

 

Você tem alguma dica para quem está adaptando seus times ágeis de forma remota?  

Sim. Defina entregáveis palpáveis, alinhe expectativa de como estas entregas devem ser feitas, o que precisa ser apresentado e principalmente como, seja uma planilha, uma apresentação, uma demo.

Combine prazos factíveis e em intervalos de tempo menores, defina entregas preliminares.

 

 

GeóTribe Leader_LauraVilarinhografa, pós graduada em mkt e mestranda em Engenharia mecânica, Laura Vilarinho é adepta de desafios,  atua desde 2002 com desenvolvimento de produtos de telecomunicações, para diversas tecnologias: voz, móvel,  dados e TI. No Brain, o Instituto de Ciência e Tecnologia criado pela Algar Telecom, é Tribe Leader de OTT, e desenvolve soluções e serviços para o mercado B2B.

 

 

Agora que você entendeu um pouco como nossos times estão trabalhando de Home Office, conta pra gente como sua equipe está se saindo!

13 comments_number 0 comments_number 4 meses atrás