9 jul 2020
por Redação Brain 96 views 0

Métodos ágeis: o que vem logo após o processo de ideação?

Os métodos ágeis são grandes aliados para aumentar a produtividade dos times em praticamente todas as áreas e em momentos diversos. Uma das aplicações desses métodos é quando todos querem chegar a boas e novas ideias, e desenvolvê-las cada vez mais.

Um bom exemplo de aplicação é a ideação e o brainstorming. Assim, tanto o brainstorming, (para a geração de muitas ideias), quanto a ideação (para o desenvolvimento e validação delas) são etapas que estão inseridas no Design Thinking, apenas uma das metodologias ágeis que contribui para a criação de soluções a partir de perspectivas do design.

Mas o que vem depois disso? É o que você descobrirá neste artigo. Além de falarmos um pouco sobre a ideação em si, o Leandro Nazareth (a.k.a. Naza, Hunter de Novos Negócios do Brain) contou tudo o que você precisa saber sobre o que vem após o processo de ideação e como ele é todo permeado por métodos ágeis.

Foto do Leandro Nazareth, Hunter de Novos Negócios do Brain.

Leandro Nazareth, Hunter de Novos Negócios no Brain.

A ideação no design thinking

Dentro do design thinking, a ideação é uma etapa na qual se discutem propostas e formas para responder às dores apontadas durante as etapas anteriores. Portanto, sempre visando encontrar soluções de um jeito humano e palpável, claro.

Dessa forma, vai um pouco além do brainstorming. Se nesse momento o objetivo é promover a geração de ideias e oportunidades, na ideação o time começa a refinar o que foi levantado, especialmente por meio da validação das dores e de suas soluções com atores da cadeia de negócio estudada pelo time no Design Thinking.

O vídeo abaixo fala um pouco mais sobre Design Thinking, destacando também a ideação dentro desse processo:

Métodos ágeis no pós-ideação

Bom, quando as etapas de brainstorming e ideação são cumpridas, o que vem depois? Como preparar e desenvolver tudo o que foi levantado, e como os métodos ágeis ajudam todo esse processo? Como é a fase de preparação?

Quem conta pra gente é o Naza, que traz detalhes sobre como o Brain faz para desenvolver as próximas etapas e ainda dá dicas para que você também saiba o que fazer após o seu processo de ideação!

Oi Naza! Já falamos sobre a importância e as diferenças da Ideação e Brainstorming. Agora, queremos falar com você sobre as próximas fases, de preparação e desenvolvimento. Quanto tempo dura cada uma?

Antes falamos sobre a nossa primeira etapa do nosso fluxo de execução, que chamamos de ideação. Nela queremos validar se a ideia que tivemos se confirma quando compartilhamos com mais pessoas, quando analisamos as dores reais de clientes reais, quando desenhamos as personas que possivelmente comprariam esse produto e as entrevistamos para validar se nossas suposições e incertezas, quando decidimos sair da ideia e já aprender com clientes reais. Assim, isso ajuda a encurtar o ciclo tradicional do desenvolvimento de projetos.

Um dos métodos mais efetivos de ideação é o Design Sprint, o método que a Google usa para validar suas ideias e construir seus produtos, e esse método diz: tenha uma ideia e vá a mercado aprender sobre ela. Ao contrário dos métodos tradicionais que diz: tenha uma ideia, desenvolva-a, implemente, lance no mercado e depois aprenda com os feedbacks. Essa etapa no Brain dura 1 sprint, isto é, 15 dias.

Agora, falaremos sobre o próximo passo após a ideação, que é a preparação. Assim, nesse processo, usamos técnicas do Design Thinking, Design Sprint e conceitos financeiros para estruturação de um BC (Business Case). Isto porque queremos, nessa etapa, confirmar se o projeto que estamos desenvolvendo é exequível, ou seja, se ele é possível de implementação, nas visões: técnica, negócio e financeira.

Nesse momento tentando aprofundar (deep dive) nas questões dos parceiros estratégicos, das validações de mercado e a possibilidade de penetração (market share) para depois estruturar uma visão financeira sobre o quanto podemos capturar de receita com esse novo produto, serviço ou negócio. Essa etapa no Brain dura 2 sprints, isto é, 30 dias.

Quais são os maiores desafios para os times nas próximas fases?

Os maiores desafios nessa etapa é o aprofundamento em uma ideia que ainda está incipiente. Portanto, nessa etapa utilizamos muito as nossas competências internas para preparar bem o projeto para uma validação com o Comitê de Direção mais embasado em dados de mercado, negócio e financeiros.

Usamos os seguintes profissionais nessa etapa: Analista de Marketing (mergulhar na inteligência de mercado para saber o que podemos capturar e precificação para definição preliminar de ticket médio), Arquitetura de Solução (validar e estruturar parte técnica e alinhar necessidades do mercado com parceiros e o squad) e por fim, o User Experience e Customer Experience (para sempre termos o cliente e usuário no centro de nossas discussões),

E como funciona o fluxo de aprovação padrão e como é dentro do Brain?

No mercado e também no Brain a aprovação de qualquer BC (Business Case) se dá por meio de defesa de um Pitch Deck executivo para que possamos contar a história (Storytelling) sobre a ideia e mostrar o nosso direito de vencer e conquistar mercado com esse produto, serviço ou novo negócio.

No Brain, temos o ritual mensal de levar projetos nas fases de ideação e preparação para validação de BC (Business Case), mas também projetos após o desenvolvimento para validação de BP (Business Plan) para irmos para a última fase que é a escala.

Quais são os métodos ágeis utilizados em cada fase dentro do Brain?

  • Na parte de ideação, o Design Thinking e Design Sprint;
  • Na preparação, Design Thinking, Design Sprint e Técnicas de construção de BC;
  • No desenvolvimento, Lean Inception e Scrum;
  • E em escala, Agile Scale e Kanban.

Pode dar um exemplo pra gente de um projeto que funcionou dessa forma?

Todos os projetos do Brain seguem essas etapas. Recentemente, fizemos a aprovação da ideação, preparação e BC do nosso primeiro projeto com a Algar Tech, o Omnify, foi fantástica a defesa do Squad na pessoa do Rodinei.

Qual metodologia e/ou ferramenta você recomenda para quem está começando a trabalhar com métodos ágeis e quer desenvolver um projeto ágil?

Vou recomendar 4 ferramentas gratuitas: para construir uma ideação e preparação, o Miro. Para construir imagens boas para o seu Pitch, o Canva; para construir um Pitch Deck executivo, o Slidesgo; e, por fim, para gerenciar o seu projeto ágil, o Trello.

Quais são os indicadores, metas ou objetivos que um time deve alcançar para saber que realmente está preparado para mudar para uma próxima etapa?

No momento da preparação os indicadores que precisamos ter em mente são os indicadores de um BC (Business Case). Seguem, portanto:

  • Base de Clientes;
  • Market Share;
  • Receita Bruta;
  • Receita Líquida;
  • Margem de Contribuição;
  • EBTDA;
  • EBIT;
  • Lucro Líquido (LL);
  • TIR (Taxa Interna de Retorno);
  • VPL (Valor Presente Líquido);
  • E Payback (Tempo de Retorno do Investimento).

Agora que você já sabe como aplicamos métodos ágeis como o Design Thinking, conheça um pouco mais sobre o Brain!

4 comments_number 0 comments_number 4 semanas atrás