11 ago 2018
por Redação Brain 966 views 0

O que é o Brain?

Para entender o que é o Brain, vamos explicar como essa história começou e o que somos.

Temos inovação até mesmo no nosso nome. Brain, para nós, tem dois significados. O primeiro é que a palavra Brain, em inglês, significa cérebro, e é nesse órgão que as ideias e os projetos são criados. O segundo é que o termo “bra” do nosso nome serve para lembrar que o nosso DNA é brasileiro, ou seja, somos um produto nacional. Já o “in” é uma redução de “inovação”, aquilo que nos move e motiva a trabalhar. Ou seja, o Brain significa, basicamente, fazer inovação à moda brasileira.

Somos um Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT), fundado em 2017 pela Algar Telecom e que está localizado em Uberlândia (MG). Promovemos a conexão de ideias e pessoas, inspirados no modelo de inovação aberta, para o desenvolvimento de soluções disruptivas com o foco na criação de novos produtos, serviços e modelos de negócio.

Inovação: uma paixão antiga da Algar Telecom

Para falar mais sobre o Brain, precisamos voltar um pouco no tempo e entender a história da Algar Telecom em relação à inovação e à tecnologia, presentes na empresa desde o seu início.

Alexandrino Garcia, fundador do Grupo Algar, sempre foi um empresário de visão, inovador, um homem à frente de seu tempo. É só olhar para a história da Algar Telecom e algumas de suas criações ao longo dos seus 64 anos.

A Algar Telecom foi a primeira empresa de telecomunicação do Brasil a ter um cabo óptico interligando duas centrais telefônicas e a entregar o serviço de celular pré-pago. Além disso, lançou a telemedicina e, no ano de 2016, foi eleita pelo Valor Econômico como a empresa de telecomunicações mais inovadora do país. Esses são apenas alguns exemplos que mostram o pioneirismo da empresa, que possui a inovação incorporada à sua estratégia.

Em 2017, a Algar Telecom decidiu dar um passo ainda mais inovador, um marco na transformação de seu modelo operacional: fundou o Brain, um Centro de Inovação em Negócios Digitais, que possui um ambiente criativo e dinâmico.

Como funciona o Brain?
Funciona basicamente assim: as mentes criativas do Brain são divididas em times — os chamados squads — para pensar em ideias inovadoras que possam se transformar em novos produtos, serviços e modelos de negócios para empresas dos mais diversos setores. Dentro desses squads, que são formados por profissionais de diferentes áreas, as ideias são colocadas à prova e passam pelas etapas de concepção, preparação, validação, desenvolvimento e execução dos projetos.

Para o desenvolvimento dessas soluções, atuamos com o conceito de inovação aberta, ou seja, utilizamos de parcerias estratégicas. Os squads trabalham com parceiros que vão desde pequenas, médias e grandes empresas, empreendedores e startups até instituições governamentais.

Para a execução das soluções dos squads, utilizamos a metodologia Scrum para implementar o desenvolvimento ágil, que possui princípios relacionados à colaboração, à auto-organização e a equipes interdisciplinares. Esse formato permite que os times tenham um desenvolvimento mais dinâmico e focado, com entregas rápidas.

Quais as principais linhas de pesquisa e desenvolvimento do Brain?

Atualmente, trabalhamos apoiados em quatro linhas de pesquisa e desenvolvimento, que chamamos de avenidas tecnológicas:

  • Digital
  • Cyber Security
  • Cloud
  • IoT (Internet of Things, em português, “Internet das Coisas”).

Todas as avenidas estão desenvolvendo soluções inovadoras nas mais variadas áreas: saúde, agronegócio, comércio digital, telecomunicação, entre outras.

Os squads são os responsáveis por desenvolver as soluções para as avenidas tecnológicas. Esses times possuem profissionais com conhecimentos complementares e são liderados pelos POs (Product Owner ou “Dono do Produto” em tradução livre). Além disso, eles possuem um Scrum Master para garantir que a metodologia Agile seja cumprida.

A avenida IoT trabalha criando soluções para o mercado financeiro, de logística, de agronegócios, entre outros. Para se ter uma noção da amplitude do mercado de Internet das Coisas, o investimento global em IoT chegará em US$ 140 bilhões até 2019, segundo estimativa da União Internacional das Telecomunicações (ITU).

Dentro da avenida Cloud, temos o squad de SaaS (Software como Serviço), que trabalha com soluções integradas que permitem ao usuário se conectar e usar aplicativos baseados em nuvem pela internet.

Já na avenida Cyber Security, o squad trabalha com produtos e soluções voltados para internet segura; gerência de rede; gestão de conteúdo; scan de vulnerabilidades de aplicações web; entre outros.

E por último temos o squad SD-WAN, que trabalha soluções para facilitar a comunicação empresarial entre matrizes e filiais por meio de uma rede híbrida, confiável e inteligente.

Como o mercado e a sociedade podem se beneficiar com o Brain?

As pessoas, cada vez mais, buscam por produtos e serviços que facilitem sua rotina e tragam conveniência na maior parte de seu dia. Não é diferente com as empresas quando falamos de produtos facilitadores e inteligentes. Atualmente, as companhias estão em busca de soluções inovadoras que reduzam custos, otimizem tempo e minimizem erros dentro de sua cadeia de operação. Dessa forma, as empresas buscam aumentar sua relevância neste mercado tão concorrido como é o de hoje.

É aí que entra o Brain: com o apoio de parceiros que possuem o mesmo pensamento de inovação, desenvolvemos soluções inteligentes e disruptivas para empresas dos mais distintos setores. Queremos ir mais longe, pois acreditamos que, ao formar parcerias estratégicas e apoiar iniciativas criativas e arrojadas, estamos servindo pessoas e empresas e simplificando seu dia a dia.

17 comments_number 0 comments_number 11 meses atrás